[Experiência literária] Lendo em inglês: The statistical probability of love at first sight

outubro 17, 2017 1 Comments
 

Quem me conhece sabe que que "A probabilidade estatística do amor à primeira vista" é um dos meus YA favoritos (se não for o que eu mais gosto). Eu o li duas vezes, uma em 2013 e outra em 2015, amei igualmente nas duas vezes e foi por isso que quando o vi sendo vendido na sua versão em inglês na Amazon por 20 reais, eu não resisti. 
"And O there are days in this life, worth life and worth death".
Charles Dickens, Our mutual friend
O livro conta a história de Hadley e Oliver, que ocorre em exatamente 24h. Hadley se atrasa 4 minutos e por isso perde o vôo. Ela está indo para o casamento do próprio pai, e como se não bastasse, vai ser uma das madrinhas. Sem conhecer a futura madrasta e ainda sem ter perdoado o pai por abandoná-la com a mãe, ela viaja totalmente sem expectativas de que qualquer coisa boa possa acontecer, mas quando Oliver chega para ajudá-la com a bagagem, de forma totalmente casual, ela percebe que talvez não seja tão ruim - principalmente quando descobre que ele será sua companhia durante o vôo!


O que eu mais amo nesse livro é o fato de que dois jovens com vidas bastante diferentes se encontram e vêem um no outro alguém que serve de apoio para quem está num momento delicado na vida. Ambos estão enfrentando momentos difíceis e apesar disso, esse encontro dá a eles esperança de que as coisas podem ser muito melhores do que estão. É uma história de amor, perseverança e mais que tudo, muita esperança de que aquilo dure bastante.
He’s like a song she can’t get out of her head. Hard as she tries, the melody of their meeting runs through her mind on an endless loop, each time as surprisingly sweet as the last, like a lullaby, like a hymn, and she doesn’t think she could ever get tired of hearing it.
Se você ainda não leu nada em inglês e gosta muito de YA, esse livro é perfeito para você. Se você não gosta muito de YA mas quer muito ler em inglês, devo dizer que esse livro também é perfeito para você. Para quem está começando, acho que o melhor a fazer é exatamente o que eu fiz: ler o livro em português, e depois em inglês. Lendo a primeira vez em português você tem a oportunidade de conhecer a história, o contexto e se familiarizar com os personagens, o que deixará a leitura em inglês muito mais fluida, mesmo que o seu nível no idioma ainda não seja tão bom assim.


A gramática é fácil de entender e a autora escreve de forma simples, além disso, de quebra você leva uma história emocionante e delicada, e que deve virar filme em breve! Os atores já foram confirmados, só faltam mais notícias (prometo que faço um post sobre as adaptações dessa autora).

Você já leu em inglês? Tem vontade? Conta pra nós!

TOP COMENTARISTA OUTUBRO

outubro 16, 2017 8 Comments

Oi pessoal, tudo bom?

Para comemorar o nosso primeiro mês de blog vamos dar um prêmio bem legal no primeiro TOP comentarista! Quem é que não quer um prêmio desse, ainda mais com a Black Friday se aproximando hein?
Então lá vão as regras:

  1. Comentar nesse post com: Nome, email, nome na rede social em que segue o blog (instagram ou facebook).
  2. Seguir o blog @marshmallowcomcafe no instagram ou curtir a página do facebook.
  3. Comentar o máximo de posts dentro dos postados em outubro (do dia 1º ao dia 31).
  4. Dentro desses posts, um deles será escolhido de forma aleatória e haverá um sorteio entre aqueles que comentaram. Ou seja: quanto mais posts você comentar, mais chance tem de ganhar!
  5. Não serão contados comentários como "Legal, vou ler!", queremos ler comentários que sejam pertinentes com os posts e que sirvam para a melhoria do nosso trabalho.
  6. Residir em território nacional.
O sorteio será feito dia 01/11 e o resultado divulgado em até 24h. O ganhador tem até 48h para entrar em contato e o blog tem até 7 dias úteis para entrega do prêmio.

Que comecem os jogos!

[Resenha] The Kiss of Deception, Mary E. Pearson - Crônicas de Amor e Ódio #1

outubro 14, 2017 4 Comments
maryepearson, assassino, principe, lia, arabela, darskide

Esse é o primeiro livro da trilogia das Crônicas de Amor e Ódio, a narrativa traz a história de Arabela Celestine Idris Jezelia conhecida como uma garota típica da nobreza, isso é  o que todos pensam. Lia desafiou a todos com uma fuga no dia de seu casamento – com o príncipe de Dalbreck  feito por acordo, afinal ela não queria ser obrigada a casar com uma pessoa que nem mesmo conhecia pessoalmente. A princesa pretende fugir para abandonar aquela vida em que não pode ter controle de si mesma, para viver pela primeira vez debaixo de suas próprias regras. Claro que ela jamais faria tudo isso sozinha, por isso Pauline – dama de companhia e amiga da personagem – a ajudou com os detalhes da fuga, então foram juntas para uma cidade próxima chamada Terravin.

“Pauline e eu gritamos. Berramos com toda a potência de nossos pulmões, sabendo que o vento, as colinas e a distância impediam nossa liberdade cheia de nervosismo de ser captada por qualquer ouvido.”

Apesar de Lia estar gostando da nova vida que leva, mesmo sem os luxos de princesa e ainda trabalhando em uma estalagem, é bom que eu te diga que Lia é a Primeira Filha dos reis de Morrighan. Isso significa que ela ganhou um dom dado pelos deuses que dá a ela um poder, uma espécie de premonição a fim de que ela pudesse contribuir com o reino. É nesse contexto que as coisas começam desandar, porque ela começa a ter contato com dois rapazes que estão na mesma estalagem, mas as intenções de cada um são bem claras: um foi mandado ali para matar a personagem principal e o outro é o príncipe de Dalbreck.

A narrativa alterna entre o príncipe, o assassino e a minha querida Lia, além de haver  uma pegada mística ainda obscura nos trechos de textos que dão inicio aos capítulos (não são todos). Eu tinha certeza de que eles são importantes de alguma forma para  história, o que foi confirmado por quem leu o segundo livro da série. Ainda sobre o enredo, eu sinceramente não achei lento como muitas pessoas acharam, provavelmente é uma questão particular, afinal eu amo histórias bem construídas mesmo que leve algum tempo para a ação acontecer.

Ah gente, a Lia me encantou! Ela é uma personagem muito forte e real para mim, desde o início ela demonstrou coragem ao se jogar no desconhecido por causa da consciência do direito de decidir pelo que vale a pena lutar e viver, além disso por diversas vezes  ela vai duvidar de suas escolhas e de si mesma como qualquer pessoa na vida quando está diante de um grande desafio, por isso a história tornou-se mais do que uma fantasia para mim, dá para imaginar o que aconteceria se fosse eu no lugar dela. Sobre o príncipe e o assassino devo dizer que eles me deixaram com um pensamento muito dúbio, isso porque ambos são intrigantes. Cada um tem uma identidade muito bem construída pela autora, o que demandou tempo, mas me deixou apaixonada no final!

Já ia esquecer de dizer que a Darkside sempre arrasa, né? A capa do livro é maravilhosa, posso dizer o mesmo sobre a diagramação do livro, também o mapa que te faz pensar o que vai acontecer naquelas cidades que buscam cada um proteger o que é seu. Então, o que vocês acham desse livro? Você vai ler ou correr?



[Resenha] O Chamado do Cuco, Robert Galbraith

outubro 12, 2017 2 Comments
Robert Galbraith

O Chamado do Cuco é o primeiro livro da Saga do Detetive Cormoran Strike, escrito por J.K. Rowling sob o pseudônimo de Robert Galbraibh.

O livro conta a história de Cormoran, detetive veterano de guerra, que para sobreviver abriu a própria agência, que não estava indo muito bem, até que ele recebe o caso da morte da supermodelo Lula Landy, que morreu ao cair de sacada de seu apartamento.

O inquérito policial concluiu que foi suicídio, mas o irmão de Lula não acredita que tenha sido este o motivo de morte de irmã.

Dentre inúmeras reviravoltas no caso de Landry, Cormoran conhece Robin, que de sua secretária temporária passa ou a secretária fixa, fiel companheira, peça importante e de grande ajuda na investigação.

Robert Galbraith

O leitor fica com uma super vontade de que role um romance entre os dois, mas Robin é comprometida com o insuportável Matthew.

A leitura flui deliciosamente, bem nível J.K. Rowling, e o final é uma delícia e deixa a gente com vontade de quero mais. E para nossa sorte, já temos publicadas 2 continuações, “O Bicho-da-Seda” e “Vocação Para O Mal”, que em breve terão resenha aqui no blog. Além dessas 2, J.K. já confirmou que está escrevendo a 3° continuação “Branco Letal” e que ainda tem muita história para acontecer!!!

[Autoral] Sobre o Amor de Deus

outubro 07, 2017 3 Comments
Olá, pessoas do meu coração!

bibliasagrada, amor, deus, jesus, autoral, marshmallowcomcafe


Estou aqui para conversar com você a respeito de algo que gosto muito. É certo que não tenho todo conhecimento sobre isso e nem pretendo adquirir tudo da noite para o dia, fato é que Jesus é uma pessoa que tem espaço para morar no meu ser.

Há algumas semanas, eu estava postando no instagram uma foto falando sobre meu pequeno grande problema com a ansiedade, e quando eu escrevi a frase em que Jesus estava do meu lado, o meu coração e os meus olhos se encheram de um profundo agradecimento que se verteu em lágrimas. É que eu o considero um amigo íntimo, uma pessoa digna de um relacionamento.
bibliasagrada, amor, deus, jesus, autoral, marshmallowcomcafe


Dessa forma, o meu prazer em ler e escrever tem começado a inundar meu coração também com vários projetos, o amor que Jesus faz transbordar em mim tem me impulsionado a transformar meus pensamentos sobre ele em palavras. Algo que tem tocado o meu coração é o amor de Deus, também sobre ser amado por Ele e sobre as preferências Dele para com seus filhos.
 O amor encontra alegria na felicidade do outro, porque não é feito de posse, de matéria, mas de abnegação, doação. Quando a noite cai – Carina Rissi

O amor que encontro em tudo faz sentido quando olho para Jesus, é esse amor de abnegação e doação que eu aprendi a amar e ver por meio da bíblia. E é claro nem todo mundo pensa dessa forma, somos muitos diferentes, portanto quero começar dizendo que meu desejo é falar sobre como vejo a Deus. Afinal,  entreguei meu coração a Ele porque fiquei encantada com seu padrão de amor.

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. João 3:16-17

Sabe o que é mais legal desse amor? Ele não olha para cor da pele, nem para condição financeira, nem ideologias e nem qualquer outra coisa. Talvez você não acredite nisso, mas essa semana eu tive uma experiência que queimou meu coração. E se algum dia eu pensei dessa maneira, tal ideia já foi quebrada dentro de mim. Saca só esse versículo:

Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas, pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável.  Atos 10:34

Pedro era um homem judeu, e como todos nós, também tinha seus próprios preconceitos. Em geral, acreditava que Deus tinha preferência exclusiva aos judeus, entretanto esse homem foi chamado até a casa de Cornélio – um homem não judeu – que amava a Deus e o servia. Depois do encontro dos dois, ocorreu algo que Pedro acreditava que apenas judeus teriam acesso, e por causa disso ele concluiu o que estava escrito em Atos 10:34. Você pode ler  Atos 10 (clique aqui para ler)  para entender o que aconteceu.

Então, você já pensou em ser o queridinho de Jesus?


[Resenha] O Menino Que Desenhava Monstros, Keith Donohue

outubro 05, 2017 2 Comments
Keith Donohue

O Menino Que Desenhava Monstros é um suspense escrito por Keith Donohue, publicado pela minha paixão DarkSide e conta a história de Jack Peter, uma criança de 10 anos que tem Síndrome de Asperger.

Três anos antes dos acontecimentos da história, Jack sofreu um acidente na praia e quase se afogou. Desde então sua vida e a de seus pais se transformaram completamente, já que ele não passou a não sair de casa e a ter um comportamento distante e agressivo.

As idas aos médicos se tornaram uma novela a parte, já que para sair de casa era necessário toda uma preparação da parte dos pais e ainda Jack se exaltava devido ao trauma.

Ultimamente, os monstros vinham persegui-lo dentro dos sonhos. Eles pousavam a mão em seus ombros. Sussurravam em seus ouvidos enquanto ele dormia…

 As idas à escola foram descartadas, consequentemente os poucos amigos de Jack se afastaram, restando apenas Nick. Nick é filho dos melhores amigos dos pais de Jack Peter e esse é o único motivo de eles ainda serem muito próximos.

A situação toda se torna mais atípica quando os pais de Nick resolvem viajar em uma segunda lua de mel e deixam o filho na casa de Jack. Durante esse período o pai de Jack começa a ver umas figuras estranhas e a mãe começa a ouvir vozes vindas do oceano.


A história faz uso de vários flashbacks para nos fazer entender o comportamento de Jack e Nick e também dos pais dos garotos, já que essas famílias estão envoltas em muitos mistérios...


– Porque está tão frio aqui?, perguntou.
Jip parou de murmurar e se inclinou para frente, batendo com o dedo no vidro. ” É ele. Está tentando entrar.”
– Ele quem?
– O homem, o monstro. – ele falava de maneira tranquila, o olhar fixo no rosto do pai- Você não entende?

O Menino Que Desenhava Monstros é uma leitura intensa, que te prende e te deixa mais curioso a cada página. Além disso é uma publicação da Darkside, que como sempre é muito cuidadosa com suas edições e os livros são sempre maravilhosos o que me deixa com mais vontade de ler ainda. A capa tem relevo no título e nos dentinhos, e no final tem um espaço para desenharmos nossos próprios monstros. Achei a ideia genial, mas infelizmente não tenho coragem de desenhar no meu precioso livrinho...

Ah! E para os amantes dos filmes de terror, este livro ganhará sua adaptação para os cinemas e será dirigido por James Wan (Jogos Mortais e Invocação do Mal)!

[Resenha] Perdida entre Dois Amores, Karoline B. Santos

setembro 30, 2017 2 Comments

connor, olivia, karolinebsantos, karolinesantos


“No fundo sabia que exigia demais da filha, mas a sociedade sabia ser cruel com damas que não se comportavam direito.”

   Olivia Thompson era uma garota do campo. Estava acostumada com a ideia de nadar no lago e cavalgar pelas manhãs, além de correr com Connor Crawford quando ambos eram crianças. Por isso, Margaret Thompson preocupava-se com a filha, afinal um dia ela seria apresentada nos bailes da sociedade londrina, por isso estar adequada era algo indispensável!

   O sonho de princesa da moça estava para começar quando Lady Crawford, amiga de Margaret, as convidou para ficar em Londres até o final da temporada, e claro elas estavam ansiosas para aproveitar os benefícios da cidade. Até que em uma bela manhã, a moça conheceu um rapaz misterioso em um piquenique no parque com a mãe e a irmã. Mais tarde, ela descobriu que esse rapaz era um visconde, e ainda melhor, ele está muito interessado nela.
“Claro que agora estava usando um elegante traje de gala e os cabelos negros estavam devidamente arrumados, mas ela o reconheceria até vestido de criado.”
   Mesmo demonstrando certo interesse em estar perto do visconde, Olivia teve oportunidade de passar tempo perto do amigo de infância Connor, eles riam das matronas da sociedade juntos e sentiam-se perfeitamente confortáveis na presença um do outro. Será que a descoberta de algo em relação ao visconde vai ser superado?


     Esse livro está no meu coração por dois motivos: É um livro de uma jovem escritora brasileira e é muito bem construído! Lembro-me de já ter comentado com algumas pessoas antes que algo importante para mim, além da construção dos personagens é também o contexto em que a história acontece, o livro não precisa ser sobre algo real, mas os elementos que dão voz ao enredo precisam ser críveis porque senão dificilmente serei convencida.

      Além de ter essa característica, gostei também da pegada mais leve, pois boa parte dos romances de época não são recomendáveis para pessoas mais jovens por causa da sensualidade mais direcionada aos adultos. Assim, esse livro é mais equilibrado quanto a esse perfil, e gente é tão fofo, leiam porque vocês vão gostar!  A autora Karoline é um amor de pessoa e foi emocionante pode conversar com ela sobre o livro. E aí, ficou curioso? Clique aqui para ver o livro na Amazon!



[Resenha] O Casal Que Mora Ao Lado, Shari Lapena

setembro 28, 2017 2 Comments
Shari Lapena

Anne e Marco Conti são pais da pequena Cora, de apenas 6 meses. Mas desde o nascimento da filha o casal nunca mais foi o mesmo. Anne sofre de depressão pós-parto e Marco está cada vez mais distante.

Nesse cenário, seus vizinhos Graham e Cynthia os convidam para o jantar de aniversário de Graham. Porém há uma condição: Cynthia odeia crianças e Cora não foi convidada. Anne fica relutante com esse fato, mas Marco consegue convencê-la de sair de casa para se divertir um pouco. 

As pessoas são capazes de qualquer coisa.

Eles até contratam uma babá, mas ela cancela de última hora e o casal decide levar a babá eletrônica para a casa dos vizinhos e se revezam para ver a filha de meia em meia hora.

Shari Lapena

Tudo estava indo muito bem, conforme o combinado, até que o casal decide ir embora definitivamente e é aí que a história fica interessante: a porta da frente está aberta e Cora sumiu!

A partir de então começa uma investigação para se descobrir onde a criança está e quem foi o responsável pelo sequestro dela. Confesso que esse é o livro com mais plot twists que eu já li na minha vida e a cada plot meu queixo caía mais ainda.

Os capítulos são bem curtos e sempre terminam num ponto que te deixa desesperado para saber o que vai acontecer em seguida. 

Esse é meu gênero favorito e com certeza “O Casal Que Mora Ao Lado” está entre os meus favoritos!! 

[Resenha] A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith

setembro 23, 2017 0 Comments
jennifersmith, galerarecord, romance, youngadult, ya, owen, lucy,

Lucy é solitária. A constatação disso, é a forma como ela passa os dias em um prédio bonito em Manhattan, normalmente andando sozinha pelas ruas de Nova York, pois os pais viajam muito e a deixam em casa na companhia dos seus irmãos. Só que essa realidade ficou mais tensa quando seus irmãos foram para a faculdade e ela ficou realmente só. Ao mesmo tempo, Owen vive uma experiência de vida extremamente diferente. Com a morte da mãe, Owen e seu pai vieram a Nova York por causa de uma oferta de emprego em um momento em que necessitavam de mudanças, por isso aceitaram a viver no subsolo de um prédio em um período de calor intenso.

“Lucy pensou em todas as outras vezes em que ficou naquele espaço apertado ao longo dos anos; [...] Brigou com os dois irmãos mais velhos, dando chutes e arranhões, até a porta abrir-se com seu “ding” característico e os três saírem como perfeitos anjinhos.” 

A história dos dois vai se cruzar quando ambos entram no elevador do prédio, cada um procurando um rumo diferente, o silêncio ainda pairando entre os olhares desinteressados de cada um até que de repente o elevador para no meio do caminho. Eles ficaram bastante tempo sozinhos sem conseguir fazer comunicação com ninguém lá fora e por isso tiveram período para desfazer as impressões aparentes para começar a construir um vínculo. Quando conseguiram sair, eles descobriram que não só o prédio, mas toda Manhattan estava sem energia. O dia já estava quente, mas ficaram sem água também, por isso ao invés de se despedirem tomaram sorvete de graça juntos, conheceram uma Nova York diferente, pois tudo estava escurecido. Depois, foram ao terraço do edifício e ali adormeceram.

“O mapa era o mesmo que uma porta prestes a se fechar. E a geografia da situação – a geografia dos dois – estava completamente e irremediavelmente errada.”

jennifersmith, galerarecord, romance, youngadult, ya, owen, lucy,


Depois, foi difícil de se falarem de novo. Owen tivera um contratempo, e Lucy não estava decidida a procurar por ele com medo de ser repelida, também ambos trilharam percursos diferentes, por isso foram separados pelo oceano e mais um pouco. É nesse momento que começam a trocar cartões postais que Lucy sempre vira na geladeira de sua casa, mas agora todas elas seriam endereçadas a Owen.

Esse livro é um young adult super fofinho, que traz de volta aos nossos corações, o desafio das mudanças repentinas bem como as tramas do ensino médio, o primeiro amor, a faculdade e no caso dessa história, a distância entre dois jovens de mundos muito distintos fazendo você se apaixonar pela história. Além disso, a narrativa trabalha questões familiares que passam desapercebidas diante de problemas tão mais caóticos que estamos acostumados a ver, no entanto fazem toda a diferença para uma criança ou adolescente. Consegui sentir a dificuldade de passar pela situações de ambos os personagens, sem nunca ter realmente vivido em tais condições, por isso amei a leitura.

jennifersmith, galerarecord, romance, youngadult, ya, owen, lucy,



Em contrapartida, confesso que tive dificuldade de me identificar com a narrativa inicialmente, porque com a troca de cenários a cada capítulo, os relatos mudavam com frequência, por isso quando eu começava a gostar daquilo tudo se alterava. Com certeza o que mais gostei foi do final, por que é muito fofo esse livro, gente. Claro que tem um toque adolescente, mas é bastante crível. Eu consegui me imaginar naquela situação facilmente, e apesar de não ser o livro da minha vida, é um livro fluído para ser lido naquele momento em que você estiver precisando de uma leitura mais leve para te animar e aquecer seu coração com esperança. E você, olhou para essa capa maravilhosa e quis ler também? 

Follow Us @marshmallowcomcafe